Connect with us

Como Sobreviver aos Santos em Lisboa

Lazer

Como Sobreviver aos Santos em Lisboa

De Santos à Bica, do Cais do Sodré à Mouraria, de Alfama à Graça. No Sto António, estes roteiros são obrigatórios. Mas como sobreviver aos Santos em Lisboa?

De Santos à Bica, do Cais do Sodré à Mouraria, de Alfama à Graça – sem esquecer a pequena Vila Berta – e terminando no Castelo. Para os autênticos entusiastas das Festas Populares lisboetas (como é o nosso caso), o roteiro na noite de Santo António não difere muito deste. Pelo caminho, não se resiste aos bailaricos espontâneos, às sardinhadas no pão, à música e – claro – a muitas imperiais. Mas como evitar encontrões? Confusão? Alguma correria? Gente e mais gente? Impossível! Mesmo assim, é possível estar prevenido para algumas situações. Descobre como sobreviver aos Santos em Lisboa!

Está a chegar a noite mais animada da capital. De 12 para 13 de junho, Lisboa é marcada por bailaricos, cheiro a sardinha assada, petiscos, imperial e muita festa! As ruas estão decoradas com luzes, grinaldas coloridas, manjericos e muitas banquinhas – mais ou menos improvisadas – de venda de comida e bebidas. Há arraiais montados por todo o lado. E “A” festa de Lisboa é vivida intensamente por lisboetas bairristas, amigos, familiares, grupos e grupetas e até por estrangeiros à procura de festa.

“Os Santos” são – quase com toda a certeza – a maior festa de Lisboa. Com o cair da noite, milhares de pessoas saem à rua e “invadem” os bairros mais típicos da capital. A topografia de ruas estreitas com muitas bancas e tasquinhas e uma multidão de um lado para o outro tornou a noite de Santo António no absoluto caos. É difícil caminhar. Tudo está lotado. E encontrar um lugar para comer é um milagre.

Por isso, o Inversu decidiu criar uma lista de conselhos úteis para conseguires tirar o maior proveito das festas populares. Para saberes como sobreviver aos Santos, só tens de seguir algumas “regras” e… Venha de lá a diversão!

Sobreviver aos Santos em Lisboa – Regras de Ouro

1. Boa Escolha de Roupa

Como diz o velho ditado, “mais vale prevenir do que remediar”. Assim sendo, a prevenção para uma noite bem passada começa em casa. Pensa bem na roupa que vais vestir. Provavelmente vai estar calor (mas não convém esquecer um agasalho), vais andar no meio da confusão, entre milhares de pessoas, vais andar muito e querer dançar. O melhor? Roupa simples, prática, leve e fresca.

2. Usar Calçado Fechado

Queres um conselho? Esquece os saltos altos (e esconde os saltos altos da tua namorada). Ao fim de 100 metros, já terás sofrido umas 40 pisadelas, no mínimo. Sem esquecer o banho de cerveja dos copos do lado, os vidros no chão e os bailarinos mais desajeitados. Por isso, não arrisques e escolhe um calçado confortável e fechado.

3. Leva apenas o Essencial

Há muita gente nas ruas, multidões para cá e para lá. Se queres sobreviver aos Santos, leva apenas o essencial: umas notas e moedas no bolso, um documento de identificação (cartão do cidadão e/ou cartão de condução), telemóvel e os óculos de sol. Sim, nós sabemos que à noite não vais precisar deles, mas de manhã vão ser imprescindíveis para regressares a casa. Atenção! Mantém os teus bens mais valiosos em zona pouco acessível. Locais com multidões são ótimos para carteiristas.

4. Chegar cedo!

Quando dizemos cedo, é mesmo cedo. Por volta das cinco (máximo seis) da tarde. Para conseguires ver e aproveitar os bairros enfeitados, antes da invasão de um mar de gente, esta é a única solução. Assim, consegues fazer algumas combinações antecipadas, encontrar os teus amigos (sem enviares 20 mensagens e fazeres 10 telefonemas) e bebes umas cervejas descansado.

5. Se for para andar a circular, chega cedo

Reforçamos a mesma ideia: chegar cedo. Se queres sobreviver aos Santos ao mesmo tempo que segues à risca a tradição de andar de um lado para o outro, a correr todas as “capelinhas”, chega o mais cedo possível. À noite isso implica meia hora para fazer 100 metros, 200 empurrões, 300 cotoveladas e mais 400 pisadelas. Sempre para chegar a um sítio que está a “abarrotar” de pessoas. Aproveita a tarde para passeares pelos bairros. Depois escolhe um lugar e assenta arraiais.

6. Esquece a qualidade das sardinhas (e também do vinho)

Quase de certeza que não será na noite de Santo António que vais comer as melhores sardinhas do ano. Aliás, nesta noite, os preços estão inflacionados e a qualidade é inferior. Mesmo assim, como resistir aquela sardinha no pão a escorrer “molhanga”? Não dá! Quanto ao vinho (ou sangria), é melhor nem pedires. Opta pela cerveja.

7. Leva dinheiro suficiente (e esquece o multibanco)

Primeiro, não há caixas de multibanco no meio do bairro de Alfama. Segundo, mesmo que encontres um multibanco, são poucas as hipóteses de ainda ter dinheiro. Por isso, recheia a carteira antes de ires para a festa, se queres mesmo sobreviver aos Santos.

8. Não leves carro

Estacionar é (praticamente) impossível. Há muita gente, muitas ruas cortadas e poucos lugares. Além de que conduzir depois é de beberes, é altamente desaconselhado. Por isso, esquece o carro e utiliza os transportes públicos (bem como as tuas perninhas).

9. Treina a tua bexiga

Apesar de já existirem algumas daquelas “casas de banho portáteis”, nem sempre é fácil encontrar uma. A juntar a isto litros de cerveja, a tua bexiga não vai aguentar. Por isso, o melhor mesmo é treinares a tua bexiga e aguentares. Sempre que vires uma casa de banho, corre para ela. Ou então, procura um cantinho mais resguardado, e cá vai disto.

10. Está preparado para caminhares até casa

Felizmente, já são muitas as pessoas que não levam carro para os Santos. Porém, isso significa mais pessoas a encher os autocarros e comboios e muita “gente louca” a querer arranjar um táxi. Portanto, podes sempre mentalizar-te de que terás de regressar a pé para casa.

Continuar a Ler

Facebook

Destaques

To Top
Untitled Document